sábado, 30 de agosto de 2014

Orquídeas e beija-flores - a arte tropical de Martin Johnson Heade

Cattleya Orchid and Three Hummingbirds -  Martin Johnson Heade – 1871 – óleo sobre madeira - 34.8 x 45.6 cm - National Gallery of Art, Washingon, DC, USA

Orquídeas e beija-flores - a arte tropical de Martin Johnson Heade

Martin Johnson Heade (Lumberville, 11 de agosto de 1819 - St. Augustine, 4 de setembro de 1904) foi um prolífico e importante pintor do romantismo norte-americano.
Inspirado, talvez, pelas obras de Charles Darwin e Frederic Edwin Church, Heade planejou produzir um livro de luxo na década de 1860 retratando beija-flores brasileiros em ambientes tropicais, e, para isso, criou uma série de 40 pequenas imagens chamada “The Gems of Brazil”, pequenas composições verticais representando o macho e a fêmea de várias espécies, muitas vezes perto de seu ninho, com uma paisagem de fundo.


Martin Johnson Heade - "Hummingbirds and Passionflowers"

O projeto foi abandonado, mas Heade manteve seu interesse em beija-flores e continuou a pintá-los numa combinação de orquídeas e selva na década de 1870.
No Rio de Janeiro, em 1864 Heade exibiu doze de seus pequenos quadros de beija-flor, “as pedras preciosas do Brasil” (c. 1864), e foi homenageado pelo imperador Dom Pedro II.


Martin Johnson Heade - "Orchids Nesting Hummingbirds and a Butterfly"

Outra "nova linha", iniciada em 1870, foi uma série de pinturas emparelhando beija-flores com flores ou orquídeas exóticas. Estas obras surpreendentes, que combinam elementos da paisagem tradicional, com ilustração ornitológica e botânica, não têm precedentes dentro da arte americana ou da europeia. Heade frequentemente brinca com semelhanças de gesto ou forma entre as aves exóticas e as flores.


Martin Johnson Heade - "Blue Morpho Butterfly" - 1864-5

O tratamento que deu às suas paisagens fazem muitos considerá-lo um Luminista. Não conseguiu um grande sucesso em vida, e durante quase todo o século XX permaneceu esquecido. Sua reabilitação começou depois da II Guerra Mundial, e hoje é altamente apreciado. Algumas de suas obras são vendidas por mais um milhão de dólares e estão nos principais museus do seu país. Em 2004 uma de suas pinturas figurou num selo dos Correios norte-americanos.


Martin Johnson Heade - "Orchids and Crimson Topaz Hummingbird" - 1871 

Texto escrito e/ou traduzido e/ou adaptado ©Arteeblog - não copie esse artigo sem autorização desse blog, mas compartilhe usando os ícones de compartilhamento para e-mail ou redes sociais.




quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Art Everywhere US - arte americana exibida em milhares de displays de publicidade em toda a América

Chuck Close - “Phil” (encima) e Edward Hopper - “Nighthawks” (embaixo) - New York Times Square

Art Everywhere US

Neste verão, imagens da grande arte americana são exibidas como parte de "a maior mostra de arte ao ar livre jamais concebida." As 58 obras de arte que compõem a campanha Art Everywhere US podem ser vistas de costa a costa dos Estados Unidos no mês de Agosto.

Grant Wood - “American Gothic” – em escada no New York's Port Authority

Uma celebração pública da grande arte americana exibida em milhares de displays de publicidade em toda a América. Expositores publicitários incluem outdoors, abrigos de ônibus, metrô cartazes, e muito mais.São 50.000 peças em 170 cidades.
Estimadas obras de arte americanas são vistas por milhões de pessoas todos os dias, quando estão indo para o trabalho, levando as crianças para a escola, chamando um táxi, fazendo compras em um shopping, pegando um ônibus ou em outras atividades rotineiras. 

Gilbert Stuart – “Portrait of George Washington” – na fachada do edifício da NASDAQ 


Cinco dos principais museus de arte dos Estados Unidos (Dallas Museum of Art, Art Institute of Chicago, Los Angeles County Museum of Art,  National Gallery of Art, Washington DC, Whitney Museum of American Art, New York) selecionaram obras de arte que representam a história e a cultura americana. O público americano votou a favor de suas obras de arte favoritas. A seleção final de 58 obras de arte pode ser vista até 31 de Agosto de 2014.

Mary Cassatt - “The Boating Party” – Fort Myers, Florida

Inspirada por uma ação parecida no Reino Unido, a versão americana é patrocinada pela Outdoor Advertising Association of America, em conjunto com os 5 museus.

Enquanto os museus e institutos esperam atrair um número mais de visitantes com a ação, a Outdoor Advertising Association of America quer apresentar a sua mais nova tecnologia: você pode digitalizar a obra de arte através de seu smartphone e assim aprender mais sobre as imagens, seus criadores e os museus.

Assista o vídeo e veja as 58 obras:




Roy Lichtenstein – “Cold Shoulder” 


Robert Mapplethorpe – “Ken Moody and Robert Sherman”


Edward Hopper – “Nighthawks”

Texto escrito e/ou traduzido e/ou adaptado ©Arteeblog - não copie esse artigo sem autorização desse blog, mas compartilhe usando os ícones de compartilhamento para e-mail ou redes sociais.


terça-feira, 26 de agosto de 2014

"Saudade vem Correndo" by Bebel Gilberto : Live



"Saudade vem Correndo" by Bebel Gilberto : Live
Nova música de Bebel Gilberto

Isabel "Bebel" Gilberto de Oliveira (Nova Iorque, 12 de maio de 1966) é uma cantora brasileira nascida nos Estados Unidos. Muitas vezes associada à bossa nova, Bebel Gilberto é filha de João Gilberto e da cantora Miúcha, e sobrinha de Chico Buarque. Bebel teve sua estreia na música precocemente. Aos 9 anos já havia se apresentado no Carnegie Hall com sua mãe e Stan Getz, e já tinha participado nos musicais Pirlimpimpim e Saltimbancos com sua mãe e seu tio, Chico Buarque.

Sua estreia como solo profissional veio em 1986 com um EP auto-intitulado, que incluiu "Preciso Dizer Que Te Amo", com parceria com Cazuza e Dé, quando ambos estavam na Banda Barão Vermelho. Em 1991, a filha de Gilberto e Miúcha trocou Ipanema, onde cresceu, por Manhattan, onde ela nasceu. Bebel continua vivendo em Nova Iorque, mas compartilha seu tempo entre os EUA e o Brasil.

sábado, 23 de agosto de 2014

Arte Construtiva na Pinacoteca de São Paulo


Arte Construtiva na Pinacoteca de São Paulo

Relêvo Espacial VI - Hélio Oiticica - 1960 - acrílico sobre madeira


Com 64 obras, entre pinturas, objetos e fotografias, realizadas entre as décadas de 1950 e 1960, a mostra, em parceria com a Fundação José e Paulina Nemirovsky,  reúne um significativo conjunto de trabalhos de artistas brasileiros, fundadores da tradição da arte abstrata, geométrica e construtiva no país.



Alternado 1 - Hermelindo Fiaminghi - 1957


Horizontais e Verticais - Lothar Charoux - guache sobre cartão colado sobre aglomerado


Com curadoria de Regina Teixeira de Barros, a exposição apresenta trabalhos de artistas como Abraham Palatnik, Alfredo Volpi, Arthur Luiz Piza, Geraldo de Barros, German Lorca, Hélio Oiticica, Hércules Barsotti, Ivan Serpa, Judith Lauand, Lothar Charoux, Luiz Sacilotto, Lygia Clark, Mira Schendel, Samson Flexor, Sergio Camargo, Waldemar Cordeiro, Willys de Castro, entre outros.


Fotoformas - Geraldo de Barros - 1950 - gelatina e prata sobre papel colado


Objeto Ativo - Willys de Castro - 1962 - óleo sobre tela colada em madeira

A mostra é resultado do empenho do museu em constituir um núcleo sólido e representativo desse momento de renovação da visualidade no Brasil. Esta exposição tem ainda um significado muito especial para a Pinacoteca de São Paulo, pois recupera também a história da própria instituição, com a evocação da mostra Projeto construtivo brasileiro na arte, realizada em parceria com o Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, em 1977. Organizada por Aracy Amaral, então diretora da Pinacoteca, esta foi a primeira revisão histórica da produção de caráter construtivo no país.


Vibração Ondular - Luiz Sacilotto - 1953 - esmalte sobre madeira


Obra sem título - Ivan Serpa - 1953 - guache, nanquim e papel colado sobre papel


Até 9 de Novembro de 2014

Pinacoteca do Estado de São Paulo - Praça da Luz, 2 - São Paulo, SP
Tel. 55 11 3324-1000

Estação Pinacoteca - Largo General Osório, 66 - São Paulo, SP - Tel. 55 11 3335-4990


terça-feira, 19 de agosto de 2014

Dia Mundial da Fotografia - parabéns a todos os fotógrafos!


Dia Mundial da Fotografia - parabéns a todos os fotógrafos!
Foto: Marilyn Monroe surpreendida ao passar por um exaustor do metrô de New York, dirigindo-se para a estreia do filme "O Pecado Mora ao Lado" (The Seven Year Itch), em 1954
Fotógrafa: Matty Zimmerman

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Italian Futurism, 1909–1944: Reconstructing the Universe - faça uma visita virtual à exposição em New York


Italian Futurism, 1909–1944: Reconstructing the Universe

Umberto Boccioni - Elasticity (Elasticità) - 1912

A primeira visão abrangente do futurismo italiano a ser apresentado nos Estados Unidos, esta exposição multidisciplinar analisa o alcance histórico do movimento desde o seu início com o manifesto futurista de F. T. Marinetti em 1909 até seu desaparecimento no final da II Guerra Mundial. 

Giacomo Balla - Balbo and the Italian Transatlantic Flyers (Celestial Metallic Airplane)


Apresentando mais de 300 obras realizadas entre 1909 e 1944, a exposição cronológica engloba não só a pintura e a escultura, mas também: arquitetura, design, cerâmica, moda, cinema, fotografia, publicidade, poesia de forma livre , publicações, música, teatro e performance. 


Umberto Boccioni - Riot in the Galleria (Rissa in Galleria) - 1910 - óleo sobre tela - 76 x 64 cm - Pinocoteca di Brera, Milan - Foto: Soprintendenza per i Beni Storici Artistici ed Etnoantropologici di Milano su concessione del Ministero dei Beni e delle Attività Culturali e del Turismo/Laboratorio fotografico





Para transmitir a miríade de linguagens artísticas empregadas pelos futuristas à medida que eles evoluíram ao longo de um período de 35 anos, a exposição integra várias disciplinas em cada seção. Futurismo italiano, 1909-1944 é organizado por Vivien Greene, curadora sênior, 19th- e Early 20th-Century Art, Solomon R. Guggenheim Museum. Além disso, um comitê consultivo internacional distinto foi montado para fornecer conhecimento e orientação.


Giulio D'Anna - The Swimmer - 1930

Até 1 de Setembro de 2014

Solomon R. Guggenheim Museum
1071 Fifth Avenue (at 89th Street)
New York, NY 10128-0173


Carlo Carrà - Interventionist Demonstration (Manifestazione Interventista) - 1914- Têmpera, caneta, mica em pó e papel sobre cartão - 38.5 × 30 cm - Gianni Mattioli Collection [on long-term loan to the Peggy Guggenheim Collection, Venice © 2014 Artists Rights Society (ARS), New York/SIAE, Rome]

Bendedetta (Marinetti) - Synthesis of Communications - 1934 - Palermo Post Office

Assista os vídeos com a curadora da exposição e faça uma visita virtual:



Vídeo sobre o contexto histórico do estilo Futurismo Italiano:


Texto escrito e/ou traduzido e/ou adaptado ©Arteeblog - não copie esse artigo sem autorização desse blog, mas compartilhe usando os ícones de compartilhamento para e-mail ou redes sociais.


Clóvis Graciano – Arte de Cavalete - exposição em São Paulo


"Clóvis Graciano – Arte de Cavalete" traz 30 obras de Clóvis Graciano (1907-1988), artista que é a maior referência do país nas artes de mural. São obras originais e com os mais variados formatos e técnicas, como pequenos desenhos e gravuras, pinturas óleo sobre tela e estudos de óleo sobre papel, além de trabalhos em bico de pena.


Estudos para mural  Clóvis Graciano

Reunidas em maioria de acervos particulares da família de Clóvis Graciano, são obras feitas em ateliê em diferentes épocas da vida do artista, desde a época do Grupo Santa Helena (décadas de 1930 e 1940). Músicos tocando instrumentos de sopro, naturezas mortas, entre outras obras. Clóvis Graciano foi influenciado por Cândido Portinari, tanto na estética como na temática, abordando traços da cultura brasileira.

Mulher com Ramalhete de Flores - Clovis Graciano

A coletânea de livros ilustrados pelo artista também faz parte do acervo. Entre 1943 e 1973, Clóvis Graciano dedicou-se às ilustrações, produzindo materiais exclusivos para grandes nomes da literatura e da poesia nacionais, como Jorge Amado, Dorival Caymmi, Castro Alves, Graciliano Ramos. Outro presente para o público que visita a exposição são os 14 desenhos feitos de forma exclusiva para o álbum "Mestres do Desenho", de Rubem Braga, e que poderão ser vistos agora, de forma inédita.

Cavalo - Clovis Graciano

Curadoria: Enock Sacramento
Até 5 de outubro de 2014 (terça-feira a domingo)
Horário: 9h às 19h
CAIXA Cultural São Paulo - Praça da Sé, 111 – Centro – São Paulo (SP)
Entrada: Franca

Informações: (11) 3321-4400

Estudos para mural da Câmara Municipal - Clóvis Graciano

Alegoria do mês de Agosto - Caspar Camps i Junyent - 1901 - Boa semana a todos!!!


Alegoria do mês de Agosto - Caspar Camps i Junyent - 1901
Boa semana a todos!!!

sábado, 16 de agosto de 2014

Balé da Cidade de São Paulo estreia programa com duas coreografias inéditas hoje - assista o vídeo


Balé da Cidade estreia programa com duas coreografias inéditas hoje


No sábado, dia 16/8, o Balé da Cidade de São Paulo estreia programa com duas coreografias inéditas no Theatro Municipal: 
Cacti, de Alexander Ekman (estreia nacional) conta com a participação do Quarteto de Cordas da Cidade de São Paulo interpretando músicas de Schubert, Haydn e Beethoven. De caráter contemporâneo, a coreografia é teatral, com falas e expressões faciais pelo elenco, mesclando dança, canto e percussão. Com texto divertido declamado em inglês e legendado em português, faz uma divertida crítica irônica aos críticos de arte e à dança contemporânea.
Bailarinos ensaiando Cacti

Antiche Danze, de Mauro Bigonzetti (estreia mundial) conta com a participação da Orquestra Sinfônica Municipal na execução de trechos de obras de Ottorino Respighi, sob regência de Luis Gustavo Petri. A peça tem inspiração total na música, traduzindo os acordes do renascentismo para as sinfonias do século 19, fazendo com que a mescla de épocas se reflita nos movimentos, trabalhando com danças populares antigas e mostrando a transformação dada pelo tempo. A coreografia em alguns trechos mostra movimentos do balé clássico mas com finalizações da dança contemporânea. 

Bailarinos ensaiando Antiche Danze
Assista o vídeo: 


Segunda , Terça , Quarta e Sábado 20h / Domingo 18h
16 a 20 de Agosto de 2014

Programa:

Balé da Cidade de São Paulo
Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo
Luis Gustavo Petri – Regente

CACTI de Alexander Ekman
Franz Schubert, Joseph Haydn, Ludwig van Beethoven – Músicas
Tom Visser – Desenho de Luz
Alexander Ekman – Figurino

ANTICHE DANZE de Mauro Bigonzetti (estreia mundial)
Ottorino Respighi – Música
Carlo Cerri – Desenho de Luz
Geraldo Lima – Figurino
Praça Ramos de Azevedo, s/nº - São Paulo SP
Telefone +55 11 3053 2100
Bilheteria +55 11 3053 2090

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Passeie pela Tate Britain à noite em tempo real através de robôs controlados online por você – até 17 de Agosto de 2014


Passeie pela Tate Britain à noite em tempo real através de robôs auto-controlados – transmitindo ao vivo de 13 a 17 de Agosto de 2014 (link para o portal ao final dessa postagem)



Transmitindo ao vivo da Tate Britain, o público será capaz de navegar a coleção de arte histórica do museu usando robôs auto-controlados, que podem caminhar pelos espaços da  galeria e salas de exposições. 


"After Dark” - que foi selecionado como o projeto vencedor do prêmio IK 2014 - encarna a emoção de uma viagem noturna, por uma das maiores coleções do mundo.




Quatro robôs podem ser guiados e controlados por pessoas de todo o mundo através de um portal web. A cada poucos minutos, os robôs, concebidos e desenvolvidos especificamente para esta tarefa, escolhem novos operadores para levá-los através de galerias e espaços de exposição . 


Assista um vídeo do "making of":



A navegação pelo site pode ser feita com botões na tela ou com as setas de um teclado, que direcionam o movimento dos robôs para frente ou para trás. Eles também podem olhar para cima e para baixo, examinando as obras de arte em exposição. 

Navegue ao vivo: http://afterdark.tate.org.uk/ 

São Paulo Design Weekend - até domingo


São Paulo Design Weekend

O Design Weekend é um festival urbano que tem o objetivo de promover a cultura do design e suas conexões com arquitetura, arte, decoração, urbanismo, inclusão social, negócios e inovação tecnológica.
São diversos eventos independentes, simultâneos e integrados por um programa oficial. O DW! compreende palestras em instituições educacionais, visitas guiadas em galerias e ateliês, exposições, instalações, intervenções artísticas e urbanas, circuitos temáticos, concursos, festas e lançamentos de produtos em lojas e showrooms.

Os eventos dos parceiros do DW! serão realizados em diversos formatos como: seminários, cursos, palestra, feiras de negócios, exposições, instalações, intervenções urbanas, recepções e coquetéis, lançamentos de produtos, roteiros temáticos, festas, shows, concursos, prêmios, dentre outros.

Até 17 de Agosto de 2014 - vários locais em São Paulo, Brasil
Veja a programação completa:

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Étienne-Maurice Falconet - escultor

Winter - Étienne-Maurice Falconet

Étienne-Maurice Falconet (Paris, 1 de dezembro de 1716 - 04 de janeiro de 1791) é um dos principais escultores rococós da França.




Falconet nasceu em uma família pobre. Primeiro foi aprendiz de carpinteiro, mas algumas de suas figuras de barro, com que ocupava suas horas de lazer, atraíram a atenção do escultor Jean-Baptiste Lemoyne, que fez dele seu pupilo. Uma de suas primeiras esculturas de sucesso foi a de Milo de Crotona, que garantiu seu ingresso na Academia de Belas Artes de Paris em 1754.

Ele chamou a atenção do público nos Salões de 1755 e 1757 com seus mármores L'Amour Menaçant e Le Nymphe Descendente au Bain, que agora estão no Museu do Louvre. Em 1757 Falconet foi nomeado diretor do ateliê de escultura da Manufacture Royale de Porcelaine de Sèvres, onde ele trouxe nova vida para o fabrico de pequenas esculturas em porcelana que tinham sido uma especialidade na manufatura antecessora de Sèvres, em Vincennes.


Biscuit - Étienne-Maurice Falconet - 1764-66


A influência do pintor François Boucher e do teatro e ballet são igualmente nítidas em suas formas doces, elegantes e eróticas. Logo no início, Falconet criou um conjunto de mesa em biscuit branco, de meninos ilustrando as artes, destinado a complementar os grandes serviços de jantar. A moda de pequenas esculturas para mesa de jantar se espalhou para a maior parte das manufaturas de porcelana da Europa.

Ele permaneceu no posto em Sèvres até que ele foi convidado para a Rússia por Catarina, a Grande, em setembro de 1766. Em São Petersburgo executou uma estátua colossal de Pedro, o Grande, em bronze, conhecida como o Cavaleiro de Bronze. Em 1788 voltou a Paris e se tornou diretor da Academia. Muitas das obras religiosas de Falconet, encomendadas por igrejas, foram destruídas na Revolução Francesa. Seus trabalhos profanos tiveram melhor sorte.


Étienne-Maurice Falconet - Pierre le Grand - Saint Petersburg



Ele encontrou tempo para estudar grego e latim, e também escreveu várias brochuras sobre a arte. Denis Diderot confiou-lhe o capítulo sobre "Escultura" na Encyclopédie, publicado separadamente por Falconet em 1768 como Réflexions sur la Sculpture. Três anos depois ele publicou Observations sur la Statue de Marc-Aurèle, que pode ser interpretado como o programa artístico para a sua estátua de Pedro, o Grande. Os escritos reunidos sobre arte de Falconet, Oeuvres Littéraires, veio à luz em seis volumes que foram publicados pela primeira vez em Lausanne, em 1781-1782.



Etienne-Maurice Falconet - Pygmalion and Galatea - 1763 – mármore – 58 cm – Walters Art Museum


Esta escultura é muito provavelmente aquela exibida pelo artista no Salão de 1763. O tema é retirado do conto Pygmalion do poeta romano Ovídio. Pygmalion é retratada com espanto arrebatador aos pés de seu objeto de amor, uma escultura nua, precisamente no momento quando é dada vida a Vênus, a deusa do amor. É uma das várias obras célebres que estabeleceram Falconet como um dos escultores mais influentes da segunda metade do século 18.
Falconet foi apoiado pela amante de Luís XV, Madame de Pompadour, através de cuja influência ele foi encarregado de esculturas na Royal Porcelain Manufactory em Sèvres. Uma versão desta escultura foi fornecida pelo artista como um modelo para reproduções pelo fabricante em porcelana biscuit branca. 


Texto escrito e/ou traduzido e/ou adaptado ©Arteeblog - não copie esse artigo sem autorização desse blog, mas compartilhe usando os ícones de compartilhamento para e-mail ou redes sociais.


quarta-feira, 13 de agosto de 2014

O Teatro na Arte - Uma cena burlesca de Paris

Claude Gillot (Langres, 1673 - Paris, 1722) – “Les Deux Carrosses” -  1707 - 1,27 m x 1,60 m 

O Teatro na Arte - Uma cena burlesca de Paris

O Teatro Commedia dell'arte era um dos temas favoritos de Gillot. Inspirado em uma história real, esta cena humorística foi adicionada à peça de Regnard e Dufresny, "A Feira de Saint-Germain", criada em 1695. Scaramouche e Arlequim disfarçados, com ênfase a uma veemência caricatural.
A cena burlesca é elaborada a partir do sucedido: duas mulheres, cada uma em sua carruagem, ao se encontrarem em uma pequena rua em Paris, muito pequena para dar espaço para duas carruagens lado a lado, nem uma nem a outra querendo recuar, obstruindo assim a rua até a chegada do Comissário, para que num acordo, faça as duas recuarem ao mesmo tempo. Estes veículos, que pareciam com os carrinhos de mão dos vinagreiros, portavam por essa razão o nome de “vinaigrette”. Na tela de Gillot, as duas mulheres são substituídas por Scaramouche, à esquerda e à direita Arlequim. A segunda sendo reconhecida por sua famosa máscara de couro. Ela também está usando um fontange. O fontange é um penteado, em homenagem à duquesa de Fontange, amante de Luís XIV e muito popular no início do século XVIII. Ela aparece aqui de uma forma evidentemente exagerada.
Marie-Angélique Fontange criou o famoso “penteado Fontange” durante um passeio na floresta de Fontainebleau: seu cabelo se agarrou a um galho e ela apareceu diante do rei prendendo seu cabelo frouxamente com uma fita, deixando os cachos soltos apoiados sobre os ombros, o que Louis achou encantador. No dia seguinte, todas as senhoras adotaram este penteado.

Marie Angélique de Scoraille - Duquesa Fontanges

Marie Angélique de Scorailles nasceu em 1661. Sua família percebeu que sua beleza era um grande trunfo e levantou dinheiro suficiente para mandá-la à corte com o objetivo preciso de abastecer os cofres da família com proventos do leito real. Marie chegou à corte de Luís XIV em 1678 e tornou-se a dama de honra da Duquesa de Orléans. Louis XIV era então dilacerado entre os afetos da Marquesa de Montespan e da Madame de Maintenon. Apaixonado pela beleza da jovem, o rei de repente abandonou as duas mulheres.  Em dezembro de 1679, Marie deu à luz prematuramente a um menino natimorto. O rei concedeu a ela o título de Duquesa Fontanges e uma pensão de 80 mil libras. No entanto, em 1680, Louis começou a se cansar dela. Ainda doente (sofrendo de perda de sangue grave) desde o parto, ela retirou-se para a abadia de Chelles, e não apareceu na corte novamente. Em 1681, Marie sofreu uma febre alta e foi enviada à Abadia de Port-Royal. Segundo algumas fontes, ela deu à luz prematuramente a uma menina natimorta em Março. A duquesa morreu na noite de 28 de Junho de 1681. Ela ainda não tinha 20 anos. Uma autópsia pedida pela família dela revelou que ela tinha os pulmões fortemente comprometidos, mas ficou a dúvida se a causa da morte foi tuberculose, grande perda de sangue ou envenenamento.

Claude Gillot - Scène de Ballet - 1706

Claude Gillot  (Langres, 1673-1722) foi um um pintor francês, gravador, ilustrador e cenógrafo. Era um especialista em comédias italianas e temas anedóticos. Com “Les Deux Carrosses”  ele trouxe o teatro para a pintura. Mais conhecido como o mestre de Watteau e Lancret. Suas lendárias peças de paisagens alegres, com títulos como "Festa de Pan" e "Festa de Baco", abriram-lhe as portas da Academia de Pintura em Paris em 1715. Ele adaptou sua arte aos gostos atuais daquela época, e introduziu as decorativas "Fêtes Champêtres" (festas campestres), em que ele foi mais tarde superado por seus alunos. Ele também esteve estreitamente relacionado com a ópera e o teatro como desenhista de cenários e roupas.

Claude Gillot - Feste du D´eu Pan, Celebrée Par des Sylvains et des Nymphes


Texto escrito e/ou traduzido e/ou adaptado ©Arteeblog - não copie esse artigo sem autorização desse blog, mas compartilhe usando os ícones de compartilhamento para e-mail ou redes sociais.