segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Série Claude Monet: O Almoço na Relva

Claude Monet - Le déjeuner sur l'herbe (Luncheon on the Grass), 1865-1866 – óleo sobre tela – 248 x 217 cm – Musée d´Orsay, Paris – painel central


Série Claude Monet: O Almoço na Relva





Este fragmento na primeira foto, é uma das partes restantes do monumental “O Almoço na Relva” de Monet. A obra foi iniciada na primavera de 1865 e media mais de quatro metros por seis. Pretendia ser um tributo e um desafio para Édouard Manet, cuja pintura do mesmo título tinha sido objeto de muito sarcasmo do público, bem como dos críticos, quando foi exibida no Salon des Refusés em 1863. Mas o projeto foi abandonado em 1866, pouco antes do Salon (onde Monet pretendia mostrá-lo), abrir.
Em 1920, o próprio pintor contou o que havia acontecido com o quadro: "Tive de pagar o aluguel, dei-o ao senhorio como garantia e ele o enrolou e colocou no porão. Quando finalmente tive dinheiro suficiente para obtê-lo de volta, ele estava mofado". Monet recuperou a pintura em 1884, a cortou e guardou apenas três fragmentos. O terceiro desapareceu.


Édouard Manet - Le Déjeuner sur L'herbe, 1863 – óleo sobre tela – 208 x 264,5 cm – Musée d´Orsay, Paris

Em 1863, o júri do Salon de Paris rejeitou “O Almoço na Relva” (Le déjeuner sur l'herbe) de Manet, principalmente porque mostrava uma mulher nua com dois homens vestidos em um piquenique. Apesar de o júri do Salon rotineiramente aceitar nus em pinturas históricas e alegóricas, condenaram Manet pela colocação de um nu realista em um ambiente contemporâneo. A esposa de Manet, e modelo favorita, Victorine Meurent, posaram para amulher nua, que tem o rosto de Meurent, mas o corpo de Leenhoff. Os dois homens são o irmão de Manet (Gustave Manet) e seu cunhado, Ferdinand Leenhoff.


Monet começou produzindo uma série de pequenos estudos ao ar livre, em seguida, fez um esboço mais acabado e trabalhado no estúdio (Museu Pushkin, Moscou). A diferença mais notável entre o esboço e a pintura é a substituição do jovem homem sem barba sentado na toalha de mesa, por um homem barbudo que tem uma semelhança impressionante com o pintor Gustave Courbet. Monet estava perfeitamente consciente das dificuldades em transpor o esboço para uma pintura monumental. Ele acentuou os contrastes de luz e sombra e as cores e, além disso, manteve o brilho e a espontaneidade dos estudos. Em abril de 1866, ao ver que não seria capaz de terminar a imensa pintura para o Salon, Monet anunciou sua decisão de "deixar de lado, por um tempo, todos os meus atuais grandes projetos que só utilizam meu dinheiro e me deixam em dificuldades".


Claude Monet - Le déjeuner sur l'herbe (Luncheon on the Grass), 1865-1866 – óleo sobre tela – 418 x 150 cm – Musée d´Orsay, Paris – painel esquerdo


Oscar-Claude Monet (Paris, 14 de novembro de 1840 — Giverny, 5 de dezembro de 1926) foi em quase todos os sentidos o fundador da pintura impressionista francesa, o próprio termo vindo de uma de suas pinturas, “Impressão, Sol Nascente”. Aos 11 anos, ele entrou na escola secundária das artes Le Havre. Cinco anos mais tarde, ele conheceu o artista Eugene Bouldin, que lhe ensinou as técnicas de pintura "plein air" e tornou-se seu mentor. Aos 16 anos, Monet deixou a escola, indo para Paris, onde em vez de estudar as obras de arte dos grandes mestres, sentava-se à janela e pintava o que via fora. Aos 28 anos, depois de sair do exército e da guerra na Algéria, de volta em Paris, estudou os métodos "en plein air", juntamente com Pierre-Auguste Renoir, Frederic Bazille e Alfred Sisley, e desenvolveu o estilo de pintura que logo seria conhecido como Impressionismo. Ele exibiu muitas de suas obras em 1874, na primeira exposição impressionista. A ambição de Monet de documentar a paisagem francesa o levou a adotar um método de pintar a mesma cena muitas vezes para capturar a mudança de luz e o passar das estações.

Após a morte de sua esposa Camille por tuberculose depois do nascimento de seu segundo filho, Monet resolveu nunca mais viver na pobreza novamente, e estava determinado a criar algumas das melhores obras de arte do século XIX. Em 1890, ele estava próspero o suficiente para comprar uma casa grande com jardim em Giverny, onde começou um vasto projeto de paisagismo que incluiu lagoas com lírios, e que se tornariam o tema de suas obras mais conhecidas. Em 1899 ele começou a pintar os nenúfares, primeiro em vistas verticais com uma ponte japonesa como um elemento central, e mais tarde numa série de pinturas em larga escala que iria ocupá-lo continuamente pelos próximos 20 anos de sua vida.


Claude Monet – Esboço para Le déjeuner sur l'herbe (Luncheon on the Grass), 1865-1866 – óleo sobre tela – 130 x 181 cm - Pushkin Museum of Fine Arts, Moscou


Esse blog possui mais artigos sobre Claude Monet. Clique sobre os links para ver:





Texto escrito e/ou traduzido e/ou adaptado ©Arteeblog - não copie esse artigo sem autorização desse blog, mas por favor o compartilhe, usando os ícones de compartilhamento para e-mail ou redes sociais. Obrigada.


Nenhum comentário:

Postar um comentário