segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Análise da pintura de Claude Monet - The Lunch (Monet's Garden at Argenteuil)

Claude Monet - The Lunch (Monet's Garden at Argenteuil), 1873 – óleo sobre tela - 160 x 201 cm - Musée d'Orsay, Paris


Análise da pintura de Claude Monet - The Lunch (Monet's Garden at Argenteuil)

A pintura “O almoço, Jardim de Monet em Argenteuil” mostra a informalidade confortável da vida de Monet na primeira casa em que a família de Monet morou em Argenteuil, durante os meses de alto verão. Em primeiro plano estão um banco, uma mesa lateral e a mesa de refeições. O jardim, cercado por três lados, é um símbolo de um mundo seguro. Com a refeição concluída, Camille (a esposa de Monet), leva uma visita para um passeio pelo jardim, enquanto Jean, seu filho, brinca com seus blocos de madeira na sombra projetada pela mesa.

Essa pintura foi exibida na segunda exposição impressionista de 1876 como um "painel decorativo". O charme do tema reside sobretudo na impressão de espontaneidade, na simples evocação de uma vida familiar. A mesa não foi limpa no final de uma refeição. Um chapéu, pendurado no galho de uma árvore, uma bolsa e um guarda-sol deixados no banco, parecem ter sido esquecidos lá. Monet recriou as sensações mais agradáveis de uma tarde ensolarada (como as flores vivas, as manchas frescas de sombra, os tecidos arejados dos vestidos de verão), com pinceladas de cor levemente aplicadas.

Camille-Leonix Doncieux (1847-1879) ainda estava na adolescência, quando Monet a conheceu por volta de 1865. Ela era de origem humilde e trabalhou como modelo. Uma garota atraente, inteligente, com cabelos escuros e olhos maravilhosos. Claude Monet era um pintor pobre naquela época. Camille se tornou sua amiga, amante e modelo. O casal vivia em situação de pobreza deprimente. Em 1867 Camille Doncieux deu à luz o primeiro filho do casal, Jean. O pai de Claude recusou-se a levá-la para a família por causa de suas origens modestas. Mas em 28 de junho de 1870 Claude Monet e Camille Doncieux se casaram em uma cerimônia civil. Em 1877 Camille deu à luz seu segundo filho, Michel. Logo a saúde de Camille foi se deteriorando. Em 5 de Setembro de 1879, Camille morreu aos 32 anos. Monet nem sempre a tratou bem e provavelmente tinha começado um relacionamento com outra mulher, Alice Hoschede, enquanto ainda estava casado com Camille. Mas ele ficou profundamente chocado com a morte de Camille. Claude pintou-a uma última vez, em seu leito de morte. O retrato pertence à coleção do Musée d'Orsay em Paris. Ela foi o tema de uma série de pinturas de Monet, bem como de Pierre-Auguste Renoir e Édouard Manet.


Esse blog possui outro artigo sobre Camille Monet. Clique sobre esse link para ver:

http://www.arteeblog.com/2015/06/a-historia-de-la-japonaise-camille.html

Veja mais artigos sobre pinturas de Claude Monet nesse blog, clicando sobre esses links:




Texto escrito e/ou traduzido e/ou adaptado ©Arteeblog - não copie esse artigo sem autorização desse blog, mas por favor o compartilhe, usando os ícones de compartilhamento para e-mail ou redes sociais. Obrigada.


Nenhum comentário:

Postar um comentário