sexta-feira, 29 de julho de 2016

A história da pintura “A Nona Onda” de Ivan Aivazovsky e de seu pintor

Ivan Aivazovsky – “A Nona Onda”, 1850 – óleo sobre tela – 221 x 332 cm - State Russian Museum, St. Petersburg, Russia


A história da pintura “A Nona Onda” de Ivan Aivazovsky e de seu pintor


“A Nona Onda” é o trabalho mais conhecido de Ivan Aivazovsky. O título refere-se à tradição náutica em que as ondas crescem cada vez maiores em uma série, até a maior onda, a nona onda, quando então a série começa novamente. Ela retrata um mar depois de uma tempestade noturna e as pessoas que enfrentam a morte, tentando se salvar, agarrando-se aos restos de um navio naufragado. A pintura tem tons quentes, o que reduz as conotações aparentemente ameaçadoras do mar. Parece plausível que as pessoas vão sobreviver. Esta pintura mostra o lado destrutivo, e a beleza da natureza.


Ivan Aivazovsky - Azure Grotto, Naples, 1841 – óleo sobre tela


Ivan Konstantinovich Aivazovskii (Teodósia, Crimeia, 29 de Julho de 1817 — Teodósia, 5 de Maio de 1900) foi um pintor russo de ascendência armênia, de estilo romântico, conhecido como um dos maiores pintores de paisagens marinhas. Deixou mais de seis mil obras, entre elas, a mais famosa, A Nona Onda.

Após a sua formação na Academia Imperial de Artes, Aivazovsky viajou para a Europa e morou brevemente na Itália no início de 1840. Ele então retornou para a Rússia e foi nomeado o principal pintor da Marinha russa. Aivazovsky tinha laços estreitos com a elite militar e política do Império Russo. Ele foi patrocinado pelo Estado e foi bem-visto durante sua vida. O ditado "digno do pincel de Aivazovsky", popularizado por Anton Chekhov, foi usado na Rússia para descrever algo inefavelmente lindo. Um dos mais proeminentes artistas russos de seu tempo, Aivazovsky também foi popular fora da Rússia. Ele realizou inúmeras exposições individuais na Europa e nos Estados Unidos.

Aivazovsky foi especialmente eficaz no desenvolvimento do jogo de luz em suas pinturas, aplicando camadas de cores para criar uma qualidade transparente, uma técnica pela qual é muito admirado. Embora tenha produzido muitos retratos e paisagens, mais de metade de todas as pinturas de Aivazovsky são representações realistas de cenas costeiras e marinhas. Sua técnica artística se destaca por sua capacidade de representar o brilho realista da água contra a luz, na pintura, seja ela a luz da lua cheia, a do nascer do sol, ou a dos navios de guerra em chamas. Muitas de suas pinturas também ilustram a sua habilidade de preencher o céu com luz, seja a luz difusa de uma lua cheia através da névoa, ou o brilho alaranjado do sol brilhando através das nuvens.

Além de ser o mais prolífico dos pintores armênios russos, Aivazovsky fundou uma escola de arte e galeria para educar os outros artistas da época. Ele também construiu um museu histórico em sua cidade natal em Feodosia, Crimeia, além de iniciar as primeiras expedições arqueológicas na mesma região.


Ivan Aivazovsky – Entre as Ondas, 1898 – óleo sobre tela – 66 x 97 cm - Aivazovsky National Art Gallery


Texto escrito e/ou traduzido e/ou adaptado ©Arteeblog - não copie esse artigo sem autorização desse blog, mas por favor o compartilhe, usando os ícones de compartilhamento para e-mail ou redes sociais. Obrigada.


2 comentários: