segunda-feira, 5 de agosto de 2019

Análise da série de pinturas “Campbell's Soup Cans” de Andy Warhol

Andy Warhol - Campbell's Soup Cans, 1962 - tinta de polímero sintético em trinta e duas telas - cada tela 50,8 x 40,6 cm - Instalação total (com 7.62 cm entre cada painel) 246.38 cm de altura x 414.02 cm de largura – The Museum of Modern Art (MoMA), New York



Análise da série de pinturas “Campbell's Soup Cans” de Andy Warhol


Refletindo sobre sua carreira, Warhol afirmou que Campbell's Soup Can era seu trabalho favorito e que, "Eu deveria continuar fazendo as Sopas Campbell... porque todo mundo faz apenas uma pintura de qualquer maneira". Certamente, é a imagem de assinatura da carreira do artista e um trabalho chave de transição de suas pinturas pintadas à mão para fotos transferidas. A obra foi criada durante o ano em que a Pop Art surgiu como o novo movimento artístico.

Embora as pinturas se assemelhem às propagandas impressas, produzidas em massa, pelas quais Warhol foi inspirado, essas telas foram pintadas à mão e o padrão da flor de lis, tocando a borda inferior de cada uma delas, foi estampado à mão. Warhol imitou a repetição e a uniformidade da publicidade, reproduzindo cuidadosamente a mesma imagem em cada tela individual. Ele variou apenas o rótulo na frente de cada lata, distinguindo-os pela sua variedade.

Solicitando sugestões de temas para pintar, ele perguntou a um amigo, que sugeriu que ele escolhesse algo que todo mundo reconhecesse como a Sopa Campbell. Em um lampejo de inspiração, ele comprou latas numa loja e começou a traçar projeções na tela, pintando firmemente dentro dos contornos para se assemelhar à aparência das etiquetas litográficas offset originais. Em vez da tinta pingando em seus anúncios e quadrinhos anteriores, Warhol procurou a precisão da reprodução mecânica. Andy Warhol se apropriava de imagens conhecidas da cultura do consumidor e da mídia de massa, entre elas fotografias de celebridades e tabloides, quadrinhos e, nesta obra, a sopa enlatada amplamente consumida, feita pela Campbell’s Soup Company.

Quando ele expôs as “Latas de Sopa Campbell” em 1962, as telas foram expostas juntas em prateleiras, como produtos em um corredor de mercearia. Na época, a Campbell's vendia 32 variedades de sopa. Cada uma das 32 telas de Warhol corresponde a um sabor diferente. (O primeiro sabor que a empresa introduziu, em 1897, foi o tomate). Warhol disse sobre a sopa Campbell: “Eu costumava beber. Eu costumava fazer o mesmo almoço todos os dias, por 20 anos, eu acho, a mesma coisa várias vezes”.

Perto do final de 1962, logo depois de completar as Campbell’s Soup Cans, Warhol voltou-se para o processo de foto-silkscreen. Uma técnica de gravura originalmente inventada para uso comercial, ela se tornaria seu meio característico, sua “marca registrada” e ligaria seus métodos de criação de arte mais perto aos de propagandas. "Eu não acho que a arte deva ser apenas para os poucos escolhidos", ele afirmou, "acho que deveria ser para a massa do povo americano".


Andy Warhol - Campbell's Soup Cans, 1962 - tinta de polímero sintético em trinta e duas telas - cada tela 50,8 x 40,6 cm - Instalação total (com 7.62 cm entre cada painel) 246.38 cm de altura x 414.02 cm de largura – The Museum of Modern Art (MoMA), New York - detalhe


Andy Warhol, nascido Andrej Varhola, Jr. (Pittsburgh, 6 de agosto de 1928 — Nova Iorque, 22 de fevereiro de 1987), foi uma figura maior do movimento Pop Art. Além das serigrafias, Warhol também utilizava outras técnicas, como a colagem e o uso de materiais descartáveis, não usuais em obras de arte. As abordagens inovadoras do Ilustrador, cineasta, fotógrafo, pintor, modelo e até produtor musical Andy Warhol para fazer arte ainda influenciam a arte contemporânea e a cultura. Ele desafiou as fronteiras tradicionais entre arte e vida, arte e negócios e em todos os tipos de mídia. No processo, ele transformou a vida cotidiana em arte e a arte em uma maneira de viver o cotidiano. Obcecado com a celebridade e a cultura de consumo, Andy Warhol criou algumas das mais icônicas imagens do século 20. Ele também ficou famoso por suas frases, como: “No futuro, todos serão famosos por 15 minutos”. Algumas de suas obras mais célebres são: “32 Campbell´s Soup Can” de 1962 e retratos de Marilyn Monroe, usando a técnica de silkscreen. Ele também foi mentor dos artistas Keith Harring e Jean-Michel Basquiat. Seu estilo Pop-Art tem adeptos até os dias atuais, como Richard Prince, Takashi Murakami e Jeff Koons, entre outros. Análise da série de pinturas “Campbell's Soup Cans” de Andy Warhol


Esse blog possui mais artigos sobre Andy Warhol. Clique sobre os links abaixo para ver:






Texto escrito e/ou traduzido e/ou adaptado ©Arteeblog - não copie esse artigo sem autorização desse blog, mas por favor o compartilhe, usando os ícones de compartilhamento para e-mail ou redes sociais. Obrigada.


Nenhum comentário:

Postar um comentário