domingo, 8 de abril de 2018

Frederick Carl Frieseke, um Impressionista americano – sua arte e sua história

Frederick Carl Frieseke - Girl in Blue Arranging Flowers, 1915 – óleo sobre tela – 81 x 81,5 cm - Museum of Fine Arts, Houston, TX, USA


Frederick Carl Frieseke, um Impressionista americano – sua arte e sua história


Frederick Carl Frieseke - Self-portrait, 1901 – aquarela – 33 x 25,4 cm – coleção particular


Frederick Carl Frieseke (7 de abril de 1874, Owosso, Michigan - 24 de agosto de 1939, Le Mesnil-sur-Blangy, Normandy, France) foi um pintor impressionista americano que passou a maior parte de sua vida como expatriado na França. Um influente membro da colônia de arte de Giverny, suas pinturas muitas vezes se concentravam em vários efeitos da luz solar manchada. Ele é especialmente conhecido por pintar temas femininos, tanto em ambientes internos quanto externos.


Frederick Carl Frieseke – Girl Reading, c. 1903-1904 – óleo sobre tela – 81,3 x 65,4 cm – The Museum of Fine Arts, Houston, TX, USA


Frederick Carl Frieseke – Grey Day on the River, c. 1908 – óleo sobre tela – 66 x 81,3 cm – coleção particular


Quando criança, ao contrário da maioria dos meninos, ele se interessava mais pelas artes do que pelos esportes. Sua avó gostava de pintar e o incentivou em suas atividades artísticas. Uma visita de 1893 à World's Columbian Exposition em Chicago também estimulou seu desejo de se tornar um artista. Em 1893, Frieseke se formou no curso secundário e começou sua formação artística no Art Institute of Chicago. Em 1895 ele se mudou para New York, onde continuou a estudar e trabalhou como ilustrador, vendendo caricaturas que ele havia feito para o New York Times, Puck e Truth. No ano seguinte, mudou-se para a França, onde permaneceria, exceto por breves visitas aos Estados Unidos e a outros lugares, vivendo como expatriado pelo resto de sua vida. Ele continuou sua educação, matriculando-se na Académie Julian em Paris. Frieseke desconsiderou sua educação artística formal, referindo-se a si mesmo como autodidata. Ele sentiu que havia aprendido mais com seu estudo independente sobre o trabalho dos artistas do que com seus estudos acadêmicos.


Frederick Carl Frieseke - The Garden Parasol, c. 1910 – óleo sobre tela – 145,1 x 195,6 cm – North Carolina Museum of Art, Raleigh, NC, USA


Frederick Carl Frieseke – Afternoon - Yellow Room, 1910 – óleo sobre tela – 81,3 x 81,3 cm – Indianapolis Museum of Art, Indianapolis, IN, USA


A partir de 1899, pouco mais de um ano desde sua chegada a Paris, Frieseke expôs no Salão da Société Nationale des Beaux-Arts. No verão de 1905, ele passou pelo menos um mês na colônia de arte de Giverny. Em outubro daquele ano ele se casou e teve uma filha. Os Frieseke passaram todos os verões de 1906 a 1919 em Giverny. Ele manteve um apartamento e um estúdio em Paris durante toda a sua vida, onde eles passavam os invernos. Sua casa de Giverny ficava ao lado da casa de Claude Monet. Apesar da proximidade, Frieseke não se tornou amigo íntimo de Monet, nem Monet foi uma influência artística. Ele disse em uma entrevista: "Nenhum artista na escola impressionista me influenciou, exceto, talvez, Renoir". E realmente, as pinturas de figuras sensualmente arredondadas de Frieseke geralmente se assemelham às de Pierre-Auguste Renoir.


Frederick Carl Frieseke – Nude in a Glade, c. 1910 – óleo sobre madeira – 35 x 27 cm – coleção particular


Frederick Carl Frieseke – The Bird Cage, 1910 – óleo sobre tela – 81,3 x 81,3 cm - New Britain Museum of American Art, New Britain, Connecticut, USA


A casa de Giverny dos Friesekes e o jardim que eles criaram eram muitas vezes mostrados em suas pinturas, e sua esposa frequentemente posava para ele. Ele também manteve outro estúdio próximo no rio Epte. Muitos de seus nus ao ar livre foram pintados lá. Depois de passar algum tempo em Giverny, seu estilo único rapidamente surgiu, e ele seria bastante influente com a maioria dos outros membros da colônia. Embora bem conhecido como um impressionista, alguns de seus trabalhos, com suas cores intensas, demonstram a influência pós-impressionista dos artistas Paul Gauguin e Pierre Bonnard. Um escritor de arte se referiu ao estilo de Frieseke como “impressionismo decorativo”, por combinar o estilo decorativo de Les Nabis, usando suas cores e padrões, com clássicos efeitos impressionistas na atmosfera e na luz do sol. Frieseke era moderno antes dos modernistas aparecerem. Ele tinha um senso de design, cor e estilo, um senso de humor, e um conhecimento notável do efeito da luz ao ar livre na cor.


Frederick Carl Frieseke – Lady in a Garden, c. 1912 – óleo sobre tela – 81 x 65 cm - Terra Foundation for American Art, Chicago, USA


Frederick Carl Frieseke – The Garden, c. 1913 – óleo sobre tela - 64.8 x 81.3 cm – coleção particular


A prestigiosa Bienal de Veneza apresentou dezessete pinturas de Frieseke em 1909. Em 1923, ele deixou o Salão da Société Nationale des Beaux-Arts e fundou, com outros artistas, o Salon des Tuileries. Ele retomou a pintura em aquarelas, especialmente durante viagens a Nice no inverno e durante uma visita de 1930 a 1932 à Suíça. Frieseke foi condecorado como Chevalier da Legião Francesa de Honra em 1920, um reconhecimento raro para um pintor americano.


Frederick Carl Frieseke - Breakfast in the Garden, 1916 – óleo sobre tela - 102 x 152 cm – coleção particular


Frederick Carl Frieseke - Breakfast in the Garden, 1916 – óleo sobre tela - 102 x 152 cm – coleção particular


Texto escrito e/ou traduzido e/ou adaptado ©Arteeblog - não copie esse artigo sem autorização desse blog, mas por favor o compartilhe, usando os ícones de compartilhamento para e-mail ou redes sociais. Obrigada.



Nenhum comentário:

Postar um comentário