sábado, 10 de dezembro de 2016

Zinaida Serebriakova, sua arte e sua história

Zinaida Serebriakova – At the Dressing Table (self-portrait), 1909 – óleo sobre tela – 75 x 65 cm - The State Tretyakov Gallery, Moscow


Zinaida Serebriakova, sua arte e sua história


A composição da pintura “At the Dressing Table” (Na Penteadeira) é representada como um reflexo em um espelho, que é tradicional para o gênero de autorretrato. Este dispositivo introduz um elemento de intimidade e, ao mesmo tempo, cria um afastamento necessário. O tema "através do espelho", nessa obra, não dá origem a um sentimento de mistério. Mesmo as velas, que normalmente simbolizam o passar do tempo nas pinturas, parecem esquecer sua função na atmosfera leve do quadro. Os olhos brilhantes enormes da retratada e seu rosto amigável transmitem calor. As mãos e o cabelo fornecem uma moldura para o rosto. Serebryakova não se anuncia de forma alguma como artista. Tem-se a sensação de que o autorretrato foi pintado para o círculo íntimo de sua família mais próxima.


Zinaida Serebriakova – Country Girl, 1906 - The State Russian Museum, Saint Petersburg, Russia


Zinaida Yevgenyevna Serebriakova (12 de Dezembro de 1884 - 19 de Setembro de 1967) foi uma pintora russa. Zinaida Serebriakova nasceu perto de Kharkov, Ucrânia, em uma das famílias mais refinadas e artísticas da Rússia. Ela pertencia à família artística Benois, com conceituados arquitetos e artistas plásticos. O ator e escritor russo-inglês Peter Ustinov também era relacionado a essa família. Em 1900 entrou na escola de arte fundada pela princesa M. K. Tenisheva. Foi aluna de Ilya Repin em 1901 do retratista Osip Braz entre 1903 e 1905. Em 1902-1903 passou um tempo na Itália e de 1905 a 1906 estudou na Académie de la Grande Chaumière em Paris.


Zinaida Serebriakova - The Orchard, 1908-9 - Têmpera sobre papel - 47.7 x 56 cm - The Russian Museum, St. Petersburg, Russia


Zinaida Serebriakova - Apple-Tree, 1910s – óleo sobre tela - 55 x 78.5 cm - Donetsk Regional Art Museum, Donetsk, Ukraine


A partir de sua juventude, Zinaida Serebriakova esforçou-se para expressar seu amor ao mundo e para mostrar sua beleza. Suas primeiras obras falam eloquentemente dessa busca e de sua aguda consciência da beleza da terra russa e seu povo. Estes trabalhos são estudos feitos da natureza, e embora fosse jovem naquele tempo, seu talento, confiança e ousadia extraordinários eram aparentes. Um amplo reconhecimento público veio com o autorretrato de Serebriakova, “At the Dressing Table”, exibido pela primeira vez em uma grande exposição montada pela União de Artistas Russos em 1910.


Zinaida Serebriakova - The Bather, 1911 – óleo sobre tela - 98 x 89 cm - The Russian Museum, St. Petersburg, Russia


Zinaida Serebriakova - Self-portrait as Pierrot, 1911 – óleo sobre tela - 71.6 x 58.5 cm - The Art Museum, Odessa, Ukraine


No início da Revolução de Outubro, em 1917, toda a vida de Serebriakova mudou. Em 1919, seu marido Boris morreu de tifo contraído em prisões bolcheviques. Ela foi deixada sem qualquer renda, responsável por seus quatro filhos e sua mãe doente. Todas as reservas de sua propriedade em Neskuchnoye tinham sido saqueadas, então a família sofria de fome. Ela teve que desistir de pintura a óleo em favor das técnicas menos caras de carvão e lápis. Esta foi a época de sua mais trágica pintura, House of Cards, que retrata seus quatro filhos órfãos.


Zinaida Serebriakova - The House of Cards, 1919 – óleo sobre tela - 65 x 75.5 cm - The Russian Museum, St. Petersburg, Russia


Zinaida Serebriakova – Lunchtime, 1914 – óleo sobre tela - 88.5 x 107 cm - The Tretyakov Gallery, Moscow, Russia


Em dezembro de 1920 ela se mudou para o apartamento de seu avô em Petrogrado. Depois da Revolução de Outubro, os habitantes de apartamentos particulares foram obrigados a compartilhá-los com outros habitantes, mas Serebriakova teve sorte, pois foi cercada por artistas do Teatro de Arte de Moscou. Assim, o trabalho de Serebriakova durante este período centra-se na vida do teatro. Também por essa época, a filha de Serebriakova, Tatiana, entrou na academia de ballet, e Serebriakova criou uma série de crayons no Teatro Mariinsky.



Zinaida Serebriakova - Young Sylphids (Ballet Chopiniana), 1924 – óleo sobre tela - 82.5 x 103 cm – coleção particular

(Les Sylphides é um balé baseado em obras do músico Frédéric Chopin, coreografado por Mikhail Fokine, com costumes de Alexandre Benois e com orquestração de Alexander Glazunov. Como "Chopiniana" a estréia se deu no dia 19 de fevereiro de 1909 no teatro Maryinsky em São Petersburgo. Os bailarinos desta apresentação foram Tamara Karsavina, Nijinsky, Anna Pavlova e Alexandra Baldina. Como "Les Sylphides" a estréia se deu em 2 de junho de 1909 no Teatro de Châtelet em Paris, produzida por Serguei Diaghilev para os Ballets Russes. Os bailarinos desta apresentação foram os mesmos da apresentação da Chopiniana. Os costumes e cenários foram também de Alexandre Benois. "Les Sylphides" alguma vezes é confundido com outro balé denominado "La Sylphide" . De nome parecido e com o mesmo tema que é a invocação das figuras mitológicas das sílfides, a semelhança para por aí. São balés bem distintos, com músicas, coreografias, cenário e criação realizadas por pessoas diferentes. Durante três anos, a artista Zinaida Serebriakova (1884-1967) assistiu aos ensaios do balé do Teatro Mariinsky.)


No outono de 1924, Serebriakova foi para Paris, tendo recebido uma encomenda para um grande mural decorativo. Ao terminar este trabalho, ela pretendia retornar à União Soviética, onde sua mãe e os quatro filhos permaneceram. No entanto, ela não foi capaz de retornar, e embora ela tenha sido capaz de trazer seus filhos menores, Alexandre e Catherine, para Paris em 1926 e 1928, respectivamente, ela não pôde fazer o mesmo para seus dois filhos mais velhos, Evgenyi e Tatiana, e não os viu novamente por muitos anos. 


Zinaida Serebriakova - Katya in Blue, by the Christmas Tree, 1922 – crayon sobre papel - 65 x 47.5 cm – coleção particular


Em 1947, Serebriakova finalmente recebeu a cidadania francesa, e somente no governo de Khruschev ela recebeu permissão para retomar o contato com sua família na União Soviética. Em 1960, após 36 anos de separação forçada, sua filha mais velha, Tatiana (Tata), finalmente pôde visitá-la. Nessa época, Tatiana também estava trabalhando como artista, pintando cenários para o Teatro de Arte de Moscou.


Zinaida Serebriakova - Versailles Roofs, 1924 – Têmpera - 46.2 x 61.7 cm - The Tretyakov Gallery, Moscow, Russia


Os trabalhos de Zinaida Serebriakova foram finalmente expostos na União Soviética em 1966, em Moscou, Leningrado e Kiev, recebendo grandes elogios, e ela foi comparada a Botticelli e Renoir. No entanto, embora tenha enviado cerca de 200 de suas obras para serem mostradas na União Soviética, a maior parte do seu trabalho permanece na França nos dias atuais.


Zinaida Serebriakova - Self-Portrait, 1946 óleo sobre papel - 65.5 x 47.3 cm - The Russian Museum, St. Petersburg, Russia


Texto escrito e/ou traduzido e/ou adaptado ©Arteeblog - não copie esse artigo sem autorização desse blog, mas por favor o compartilhe, usando os ícones de compartilhamento para e-mail ou redes sociais. Obrigada.


Nenhum comentário:

Postar um comentário