terça-feira, 13 de setembro de 2016

Análise da pintura “Woman Holding a Balance” de Johannes Vermeer

Johannes Vermeer - Woman Holding a Balance – 1662-1663 – óleo sobre tela – 39,7 x 35,5 cm - National Gallery of Art, Washington, D.C.


Análise da pintura “Woman Holding a Balance” de Johannes Vermeer - com vídeo


“Woman Holding a Balance” (Mulher Segurando uma Balança) é um excelente exemplo do sentido requintado de estabilidade e ritmo de Johannes Vermeer. A modelo da pintura possivelmente foi a esposa do artista, Catharina Vermeer. Estudos técnicos da pintura mostraram que ela foi estendida cerca de cinco centímetros em todos os lados, em uma data muito posterior. Opiniões sobre o tema e o simbolismo da pintura diferem, com a mulher, alternadamente vista como um símbolo de santidade ou mundanismo.


Johannes Vermeer - Woman Holding a Balance – 1662-1663 - National Gallery of Art, Washington, D.C. - detalhe


Na pintura, uma mulher vestida com um casaco azul com acabamentos de pele, permanece serenamente ante uma mesa em um canto de uma sala. A balança em sua mão direita, está em equilíbrio, sugestiva do estado interior de sua mente. Uma grande pintura do Juízo Final, emoldurada em preto, está pendurada na parede de trás da sala. Um pano azul brilhante, abaixo de um espelho, uma janela à esquerda (invisível, salvo sua cortina dourada) fornece luz. Caixas abertas, duas fileiras de pérolas, e uma corrente de ouro estão sobre a mesa robusta. Uma luz suave entra pela janela e ilumina a cena, enfatizando o vestido e a possível gravidez da modelo, mas é mais evidente na cortina, aumentando a luz que banha a pensativa modelo. A mulher está tão pensativa que o espectador quase hesita em se intrometer em seu momento de silêncio da contemplação.


Johannes Vermeer - Woman Holding a Balance – 1662-1663 - National Gallery of Art, Washington, D.C. - detalhe


A pintura parece ter um significado místico. A justaposição visual da mulher e do Juízo Final é reforçada por paralelos temáticos: julgar é pesar. É preciso primeiro examinar a consciência e pesar os pecados, como se fosse o Dia do Julgamento. Essa introspecção pode levar a escolhas virtuosas ao longo do caminho da vida. “Mulher Segurando uma Balança”, portanto, alegoricamente nos impele para conduzir nossas vidas com temperança e moderação. A mulher está entre os tesouros terrenos de ouro e pérolas e um lembrete visual das consequências eternas de suas ações, lembrando que a futilidade deste mundo é pura vaidade. Vermeer enfatizou esta mensagem através de sua composição refinada e iluminação.


Johannes Vermeer - Woman Holding a Balance – 1662-1663 - National Gallery of Art, Washington, D.C. - detalhe


Johannes Vermeer (Delft, 31 de Outubro de 1632 - Delft, 15 de Dezembro de 1675), também conhecido como Vermeer de Delft ou Johannes van der Meer, é o segundo pintor holandês mais famoso e importante do século XVII (um período que é conhecido por Idade de Ouro Holandesa, devido às espantosas conquistas culturais e artísticas do país nessa época), depois de Rembrandt. Os seus quadros são admirados por suas cores, composições inteligentes e brilhante uso da luz. Era filho de um comerciante de artes. Casou-se em 1653 com Catharina Bolenes e teve 15 filhos, dos quais morreram 4 em tenra idade. No mesmo ano juntou-se à guilda de pintores de Saint Lucas. Mais tarde, em 1662 e 1669, foi escolhido para presidir a guilda. Sabe-se que vivia com magros rendimentos como comerciante de arte, e não pela venda dos seus quadros. Só alcançou fama póstuma no século XIX. Conhecem-se hoje muito poucos quadros de Vermeer. Só sobrevivem 35 a 40 trabalhos atribuídos ao pintor.


Assista um vídeo com análise da pintura, pelos curadores da National Gallery of Art, Washington, D.C. clicando sobre ele:




Texto escrito e/ou traduzido e/ou adaptado ©Arteeblog - não copie esse artigo sem autorização desse blog, mas por favor o compartilhe, usando os ícones de compartilhamento para e-mail ou redes sociais. Obrigada.


Nenhum comentário:

Postar um comentário