sábado, 21 de maio de 2016

Henri Rousseau, sua arte e sua história

Henri Rousseau - Tigre em uma Tempestade Tropical (Surpreendido!), 1891 – óleo sobre tela - 129.8 x 161.9 cm – National Gallery, London


Henri Rousseau, sua arte e sua história


Henri Rousseau, 1910 – fotógrafo: Pablo Picasso – Musée Picasso, Paris


Um pintor extremamente incomum, Henri Rousseau Henri-Julien-Félix Rousseau (Laval, 21 de maio de 1844 — Paris, 2 de setembro de 1910) - é uma figura única na história da arte europeia. Suas pinturas, como sua carreira artística, são altamente individuais. Nascido em uma família modesta, Rousseau era um artista autodidata, descrito como um "pintor amador" por seus primeiros biógrafos. Ele trabalhou por muitos anos no pedágio da cidade de Paris e foi, portanto, imprecisamente apelidado Le Douanier (empregado da alfândega) por seu amigo Alfred Jarry.


Henri Rousseau - A Carnival Evening, 1886 – óleo sobre tela - 117.3 × 89.5 cm - Philadelphia Museum of Art, Philadelphia, PA


Henri Rousseau – Autorretrato do Artista com uma Luminária, 1903 – óleo sobre tela - 23 × 19 cm – Musée Picasso


Rousseau começou a pintar com cerca de quarenta anos de idade. Ele dizia que seu único professor era a natureza, embora tenha admitido que havia recebido "alguns conselhos" de dois pintores acadêmicos estabelecidos, Félix Auguste Clément e Jean-Léon Gérôme. Essencialmente, ele era autodidata e é considerado um pintor naïve ou primitivo.


Henri Rousseau - Boy on the Rocks, 1895–97 – óleo sobre tela -  55.4 × 45.7 cm - National Gallery of Art, Washington, D.C.


Henri Rousseau - The Sleeping Gypsy, 1897 – óleo sobre tela - 129.5 x 200.7 cm - MoMA, New York


Em 1884, ele obteve uma licença de copista do Louvre. Ele também visitou o Musée du Luxembourg e Versailles. No entanto, Rousseau não seguia regras, além de suas próprias, transformando a pintura refinada de artistas acadêmicos em uma linguagem única, impregnada de elementos oníricos.


Henri Rousseau - The Wedding Party, c. 1905 – óleo sobre tela – 163 x 114 cm - Musée de l'Orangerie, Paris


Henri Rousseau - The Football Players, 1908 – óleo sobre tela -  100.5 × 80.3 cm - Solomon R. Guggenheim Museum, New York


Suas pinturas mais conhecidas retratam cenas da selva, embora ele nunca tenha saído da França ou visto uma selva. Sua inspiração vinha de ilustrações em livros infantis e dos jardins botânicos em Paris, bem como de quadros de taxidermia de animais selvagens. Além de suas cenas exóticas houveram também imagens menores topográficas da cidade e seus subúrbios. Ele dizia ter inventado um novo gênero de retrato de paisagem, iniciando uma pintura com uma visão específica, como uma parte favorita da cidade, e depois retratando uma pessoa em primeiro plano.


Henri Rousseau - Exotic Landscape, 1908 – óleo sobre tela - 116 × 89 cm – coleção particular


Henri Rousseau – Pescadores, 1909 – óleo sobre tela – 46 x 55 cm - Musée de l'Orangerie, Paris 


O estilo simples, aparentemente infantil de Rousseau foi desacreditado por muitos críticos. As pessoas ficavam chocadas com o seu trabalho ou o ridicularizavam. Sua ingenuidade era extrema, mas seu trabalho mostra sofisticação com a sua técnica particular. A partir de 1886, ele exibiu regularmente no Salon des Indépendants, e, embora seu trabalho não fosse colocado de forma destacada, ele foi sendo valorizado ao longo dos anos. A pintura “Tigre em uma Tempestade Tropical (Surpreendido!) ”, foi exibido em 1891, e Rousseau recebeu sua primeira avaliação séria.


Henri Rousseau – O Sonho, 1910 – óleo sobre tela - 2.04 m x 2.98 m – Museum of Modern Art, New York


Quando Pablo Picasso viu uma pintura de Rousseau sendo vendida na rua como uma tela de segunda mão para ser pintada, o artista mais jovem instantaneamente reconheceu o gênio de Rousseau e foi ao seu encontro. Em 1908, Picasso realizou um banquete meio sério, meio burlesco em seu estúdio em Le Bateau-Lavoir em honra de Rousseau. Os convidados do banquete Rousseau incluíam: Guillaume Apollinaire, Jean Metzinger, Juan Gris, Max Jacob, Leo Stein, e Gertrude Stein, entre outros. Picasso, Delaunay, Léger e artistas italianos e alemães avant-garde, inclusive Kandinsky, não só admiravam a obra de Rousseau, que inspirou os seus próprios trabalhos, mas também a colecionavam. 


Henri Rousseau – Autorretrato na Ile Saint-Louis, 1890 – óleo sobre tela – 146 x 130 cm - National Gallery, Prague


Texto escrito e/ou traduzido e/ou adaptado ©Arteeblog - não copie esse artigo sem autorização desse blog, mas por favor o compartilhe, usando os ícones de compartilhamento para e-mail ou redes sociais. Obrigada.


Nenhum comentário:

Postar um comentário